8 de setembro de 2017

Redesol representa trabalhadores da reciclagem em conselho de economia solidária

Encontro do CEEPS reuniu membros do governo estadual e de empreendimentos solidários da Região Metropolitana de Belo Horizonte

​Cumprindo seu papel de representar os empreendimentos de catadores da economia solidária do estado, a Cooperativa Central Rede Solidária de Trabalhadores de Materiais Recicláveis de Minas Gerais (Redesol MG) participou de mais um encontro do Conselho Estadual da Economia Popular Solidária (CEEPS), realizado na primeira quarta-feira de setembro (6/09), na Casa dos Direitos Humanos, localizada no Centro de Belo Horizonte.

Um dos assuntos abordadas na ocasião foi a proposta de criação de comissões para debater e aprofundar em temáticas que envolvem a economia popular solidária (EPS). Para a diretora presidente da Redesol, Ivaneide Souza, esse formato vai acrescentar nas discussões, que necessitam de maior atenção. “O trabalho das comissões vai discutir muitos assuntos que demandam um tempo maior de dedicação. Os resultados vão ser positivos”, disse.

Discussões visam avanço para economia popular solidária (Foto: Diego Cota/Redesol MG)

A presença da Redesol neste espaço é recente e busca proporcionar benefícios às associações, cooperativas e catadores. Até então, a CEEPS não contava com representante dos trabalhadores com materiais recicláveis. “É um espaço que discutia mais os outros setores, como artesanato e confecção. Não tinha representação da reciclagem. Vamos ocupar esse espaço para discutir um pouco mais as questões dos catadores em âmbito estadual”, reforçou Ivaneide.

Ela destacou ainda a importância da entidade integrar o conselho. A rede representa 14 empreendimentos filiados situados em Belo Horizonte e Região Metropolitana.“Aqui é um espaço de discussão de todas essas políticas que vêm acontecendo em Minas Gerais. É importante a Redesol fazer parte desses espaços para buscar benefícios para os empreendimentos mineiros de catadores”, completou.

O CEEPS é um mecanismo que integra representantes do governo estadual e membros da sociedade civil, onde é viabilizado um espaço de diálogo que tem como objetivo possibilitar o desenvolvimento da EPS. Nele, pautas são apreciadas e os conselheiros decidem pela sua deliberação. O órgão é vinculado à Secretaria de Estado de Trabalho e Desenvolvimento Social (Sedese).