9 de outubro de 2017

Filiada à Redesol, Comarp inaugura processo de triagem por esteira

Modernização no empreendimento se deu por meio de projeto financiado pela Fundação Banco do Brasil e contou com apoio da UFMG e PBH

Inauguração contou com parceiros ligados ao setor da reciclagem (Foto: Diego Cota/Redesol MG)

Modernizar para tornar sólida a atividade realizada no galpão e proporcionar melhores condições de trabalho aos recicladores. É com esse objetivo que a Comunidade Associada para Reciclagem de Materiais da Região da Pampulha (Comarp), empreendimento filiado à Cooperativa Central Rede Solidária de Trabalhadores de Materiais Recicláveis de Minas Gerais (Redesol MG), inaugurou, na última quarta-feira de setembro (27/09), seu processo de triagem por esteira.

A adaptação do espaço e posterior instalação do maquinário se deram por meio do Projeto “Modernização do galpão de triagem da Comarp Aquisição de esteira”, iniciativa financiada pela Fundação Banco do Brasil, com apoio técnico da Escola de Engenharia, da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), e Prefeitura de Belo Horizonte (PBH), por meio da Superintendência de Limpeza Urbana (SLU).

A cerimônia de inauguração foi realizada na unidade sede da Comarp, situada na Avenida Antônio Carlos, 4070, Bairro São Francisco, em​ Belo Horizonte/MG. A ocasião foi acompanhada pelos cooperados, por representantes da PBH, empresas parceiras e empreendimentos econômicos solidários da capital mineira e região metropolitana.

Há um mês funcionando no galpão da cooperativa, a esteira já proporciona benefícios no dia a dia do trabalhador, como contou a Diretora Presidente da Redesol e Comarp, Ivaneide Souza. “Já vemos a melhoria na qualidade de vida dos catadores, porque a forma de triagem é diferente da anterior, que era no chão. Neste novo modelo, aumentamos a produtividade e conseguimos ter melhor logística e organização no galpão”, disse.
Ivaneide Souza e Osvaldo Machado, da PBH, inauguraram maquinário da Comarp


Presente no evento, a Diretora de Planejamento da SLU, Patrícia Batista, destacou a importante conquista da Comarp para a autarquia e aos cooperados que trabalham na unidade do empreendimento. “É muito importante, porque é um dos objetivos implantar tecnologia nos galpões de reciclagem. Em uma esteira como essa, você recicla um volume enorme de material com condições de trabalho melhores do que a original”, afirmou.

Modernização no modo de trabalhar e mudança positiva na rotina


Contar com uma esteira que auxilie o trabalho de triagem de recicláveis é uma realidade ainda distante na maioria dos empreendimentos. Boa parte deles realiza o processo apenas de forma manual. Assim, o catador recolhe o material de um montante depositado no chão e separa por tipo ​em um recipiente específico para cada reciclável.

Antes, a atividade era realizada manualmente e fazia com que os catadores adotassem posturas corporais inadequadas. Segundo a Diretora Financeira d​a Comarp, Débora Cristina Pereira, as queixas devido a dores diminuíram após a instalação do maquinário. “A esteira facilita o trabalho. Depois de instalado, os cooperados passaram a reclamar menos de dores em decorrência da postura no trabalho”, contou.

​A novidade deixou a atividade focada n​o empreendimento​, como destacou o cooperado Hélio Joaquim dos Santos, de 50 anos. “Com a esteira, o trabalho ficou melhor, porque você só tem que se preocupar com o tipo de reciclável que separa. O trabalhador fica posicionado em um local fixo e ao seu lado estão os bags de um determinado material”, disse.

Além disso, a instalação da esteira mudou a interação entre os cooperados no dia a dia do trabalho. Segundo Débora, a necessidade de estabelecer um horário em comum contribuiu para aumentar a união do grupo. “Antes, era cada um por si, inclusive nos horários destinados à alimentação. Com a esteira, foi necessário o estabelecimento de horários próprios para o almoço. Há uma comunhão maior, eles passaram a conversar mais entre si”, revelou.


Esteira mudou o formato de trabalho adotado na Comarp (Foto: Diego Cota/Redesol MG)

Exemplo para empreendimentos filiados à Redesol


A atuação em rede também proporciona o espaço para troca de boas ações e experiências. A aquisição de maquinário para o trabalho com reciclagem tem a intenção de gerar melhores condições de trabalho e aumentar a produção. Uma das metas da Redesol, como central dos empreendimentos, é realizar a comercialização diretamente com o setor industrial.

Para Ivaneide Souza, ​a​ conquista da Comarp fomenta o desejo de replicar a iniciativa nos demais filiados. “Nosso objetivo é que possa melhorar o resultado para a cooperativa e, posteriormente, implantar em outras que integram a Redesol. Buscamos aumentar o volume de produção para que possamos alcançar a indústria”, disse.

A Comarp é o segundo empreendimento filiado a Redesol a contar com uma esteira no processo de triagem. O primeiro foi a Cooperativa de Catadores de Materiais Recicláveis da Região Oeste de Belo Horizonte (Coopemar Oeste), que, em julho deste ano, recebeu da Tetra Pak uma esteira devido ao sucesso na comercialização de embalagens longa vida.